quinta-feira, 13 de novembro de 2008

piano ao fundo

É como voar com asas quebradas e dar de cara com um muro. E nem fez barulho. Estranho. Não escorre sangue e nem se sente dor. Dó se sente ao ver vento a quebrar as barreiras do muro, das árvores, desviando por entre pássaros e mosquitos do ar. Passa por um copo de café e leva o calor consigo. passa pelo prato de sopa e pela cerveja do bar. Passa pela janela e acena : - olá.
Segue seguindo. Segue frio, segue ávido, segue feliz, fazendo frio ou calor ao chegar. Vai embora quando bem entende.Não dá satisfação e ainda leva as coisas que lhe bem entender consigo.

- Vento, por favor, me leva!

3 comentários:

Ana Helena disse...

porra,te falar que hoje pensei em escrever alguma coisa sobre o vento tbm, mas nem, só ficou na cabeça mesmo!
adoro vento.

Thalyta França disse...

=)
O vento me levou!
hehe
:*

Victor Manfredine disse...

ahh..
é tão bom sentir o vento
lendo essas coisinhas aki! =D