segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Tarde

E a moça que via o vento que ia e que vinha
folhas dançando acima do chão
pegadas sendo levadas pelo sopro sutil
apagadas no asfalto ardido
de clima árido tropical equatorial ocidental (?)
lia páginas de lingua que só ela entendia
lia dentes novos
sentia o aviso dos céus
e lembrava baixinho:

-Naquele dia chovia, naquele dia chovia.

Um comentário:

Mapinguari disse...

Gostei do blog e das poesia, valeu, até mais